Conheça a história do venerável Padre José Gualandi

Ser missionário era o seu grande sonho! Levar o Evangelho a terras distantes era o seu ideal. E foi justamente Nossa Senhora a mudar suas perspectivas, preparando-lhe uma missão que se quer, algum dia havia imaginado.

José Gualandi, filho de um professor universitário, nasceu em Bolonha (Itália) no dia 9 de junho de 1826. De uma inteligência versátil e criativa, formou-se em Belas Artes e tornou-se sacerdote com apenas 22 anos, graduando-se em filosofia e teologia. Após a ordenação especializou-se em direito civil e canônico. Sua abertura para as missões o fazia dizer: “me fiz sacerdote para a glória de Deus, servir a Igreja e para a salvação das almas”. Seis meses, após a sua ordenação, no dia 8 de julho de 1849, durante a missa da primeira comunhão na festa do Coração Imaculado de Maria, a sua atenção é direcionada para uma menina: Carolina Galuppini, cuja estatura e comportamento destoava das crianças. Era uma surda, que pela caridade de algumas catequistas possibilitou que se aproximasse da Eucaristia pela primeira vez. Para Pe. José, que havia pedido um sinal à nossa Senhora ainda antes da ordenação sobre a sua missão, viu se descortinar diante de seus olhos o que para onde a Divina Providência o queria levar. Tudo isso aconteceu diante do quadro de Nossa Senhora e que a partir daquele momento teria um lugar ainda mais especial na sua vida.

O jovem sacerdote, de caráter decidido, vai logo à ação: procurou nos livros existentes na época o estudo dos vários métodos de comunicação, saiu às ruas de Bolonha na esperança de encontrar os surdos e contagiou toda a sua família para que colaborasse na sua missão, especialmente o irmão mais novo: Pe. César Gualandi, que deixou-se conquistar pelo seu carisma.

8 de julho de 1849, dia da vocação aos surdos

8 de julho de 1849, dia da vocação aos surdos

Iniciou com apenas dois surdos uma pequena comunidade, que mais do que uma escola ou instituto, Pe. José Gualandi sonhava em fazer dela uma verdadeira “família” garantindo aquele aconchego de lar, experiência que tornou parte do seu método educativo. Com a chegada de outros surdos, mudou-se com eles para uma casa maior, adquirida com as doações que humildemente pediu aos seus concidadãos. Neste tempo Orsola Mezzini, uma extraordinária moça, colocou-se à serviço dos surdos, tornando-se a primeira superiora das irmãs da Pequena Missão. Padre José sentia-se sempre missionário por que via no coração de cada surdo uma terra de missão.

Quando morreu em 14 de julho de 1907, deixou como herança, além de uma Congregação religiosa com mais de 700 surdos educados, uma admirável espiritualidade. Consagrando-se totalmente aos cuidados da Virgem Maria, buscava incansavelmente a Misericórdia de Jesus e ofereceu sacrifícios, renúncias e todo o seu agir para que a glória de Deus brilhasse sobre todas as coisas. Em 24 de abril de 2001, São João Paulo II reconheceu suas virtudes heroicas, e seus religiosos e seguidores esperam o milagre para que se proclame a sua beatificação.

Pedimos que, em suas orações, ao pedir a intervenção de Deus, a peça pela intercessão do venerável Pe. José Gualandi.